Muitos de nós se lembram da pandemia da gripe H1N1 ou gripe A em 2009. Popularmente conhecida como gripe suína, diversos países nos cinco continentes registraram dezenas de milhares de casos e óbitos.

O Brasil esteve entre aqueles em que mais houveram contaminados por essa doença. Os primeiros casos apareceram em março de 2009.  E entre junho do mesmo ano e agosto de 2010, o mundo esteve sob uma pandemia, como foi decretado pela OMS (Organização Mundial de Saúde).

Durante os meses em que vivemos sob o perigo constante da transmissão da “gripe A”, as ações de prevenção ao contágio foram essenciais para evitar um número cada vez maior de pessoas infectadas. A principal arma utilizada foi o álcool gel.

O Álcool Gel

Pouco conhecido pelos brasileiros até então, o álcool em gel surgiu como o grande aliado, um verdadeiro escudo, contra a transmissão do vírus.

Embora todos soubessem que a gripe H1N1  fosse transmitida pelo ar, era de vital importância o uso do álcool em gel para desinfetar as mãos.

Isso ocorre porque estamos tocando em tudo o tempo todo, e isso faz de nossas mãos um verdadeiro meio de transporte de vírus e bactérias para dentro do nosso corpo.

Um dado interessante de ressaltar é que nós tocamos em nosso rosto, em média, três vezes por minuto. O que permite uma maior chance de contaminação, pois o patógeno se aloja próximo de nossas bocas e narizes.

A popularização do álcool em gel é notada até hoje. Muitas pessoas criaram a rotina de carregarem consigo um frasco para higienizar as mãos ao longo do dia. Escolas e ambientes com grande concentração de pessoas, como por exemplo os shoppings, também passaram a disponibilizar o produto.

álcool em gel

ANVISA e o Álcool em Gel

Em 2010, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), confirmando a importância do álcool em gel na prevenção de doenças, obrigou todos os serviços de saúde do País a disponibiliza-lo para a higienização das mãos dos profissionais na área.

É importante saber que somente o álcool em gel 70% é eficaz e seguro para a higienização. E não deve ser substituído pelo utilizado na limpeza doméstica ou por outro que tenha concentração maior, como os de 90%, pois esses podem causar irritações na pele.

Álcool x água e sabão

Tanto a higienização das mãos com álcool em gel quanto com água e sabão são eficazes. Porém se as mãos estiverem sujas, quer dizer, com resíduos visíveis, é necessário lavá-las antes de utilizar o álcool em gel.

Entretanto, não adianta colocar as mãos embaixo da torneira por cinco segundos apenas. São necessários pelos menos de 10 a 15 segundos para eliminar os vírus e bactérias.

A utilização do álcool em gel se faz muito prática quando há falta de pias e torneiras por perto.

Álcool em gel nos hospitais 

De acordo com a Anvisa, higienizar as mãos, seja com álcool em gel ou com água e sabão, é a maneira mais eficaz e barata de reduzir os casos de infecção hospitalar.

Mas é ainda necessário que a maioria dos profissionais da área participe de ações educativas quanto à importância desse ato. De acordo com um levantamento feito pela agência em 2012, 53% das unidades de saúde possuem álcool em gel disponível aos funcionários.

O Estado de São Paulo possui, em andamento, o projeto “Mão limpas são mais seguras”, que promove educação sobre a correta higienização das mãos dos profissionais da saúde e que já conta com a adesão de 110 hospitais.

lavar as mãos

Veja como é fácil escolher Álcool em gel e sabonetes líquidos!

Seja para consumo próprio ou para empresas, é de fundamental importância a aquisição consciente do sistema de higienização de mãos.

No caso da aquisição para empresas, a sugestão é escolher entre fornecedores que possuam:

  1. Dispensadores com alta qualidade, já que os sabonetes e álcool serão usados com grande frequência;
  2. Adesivos que identifiquem o conteúdo e o modo de utilização dos produtos, obrigatório para a segurança do trabalhador;
  3. Produtos que contenham hidratantes, já que o uso continuo poderia ressecar as mãos na ausência destes componentes;
  4. Fabricantes e produtos com documentação obrigatória em dia, já que estes produtos serão ofertados a funcionários e clientes.

Fontes: