Papel higiênico é um produto que esperamos que seja macio, fino e absorvente. Normalmente deve se desmanchar em contato com a água e tem como finalidade o uso sanitário e pessoal, podendo ser perfumado ou não.

Por conta da grande variedade, você pode ficar confuso e escolher inadequadamente.

O risco mais iminente é com relação a saúde e bem estar.

Por isso, para escolher qual o papel higiênico mais indicado para sua empresa, é necessário considerar alguns tópicos. 

Algumas dicas de compras na indústria de papel higiênico

Selecionamos 7 dicas que vão te ajudar a saber quais fatores são necessários levar em conta na hora de escolher o melhor tipo de papel. Pode-se citar:

1 – O segmento empresarial;
2 – O formato do papel;
3- A composição do papel;
4 – O suporte de papel higiênico;
5 – O preço;
6 – A qualidade do papel higiênico;
7 – A marca do papel;

1 – Escolha pelo segmento empresarial e o público atendido

A escolha do papel higiênico para empresas requer distinções entre os diversos segmentos, seus objetivos e o impacto que pretende causar aos usuários do ambiente.

O tipo mais conhecido é o de rolo de 30 metros ou “rolinho”, que pode ser de folha simples, dupla ou tripla. Porém, se pensarmos na questão econômica e saúde do usuário, não é viável a escolha para empresas.

O motivo para NÃO usar esse tipo de papel em empresas é bem simples: o preço do metro linear desses produtos geralmente é maior que o preço do metro de papel higiênico rolão profissional e costuma gerar maior despesa que um papel higiênico interfolhado (ambos tipos de papeis que abordaremos mais adiante).

Além disso, o rolinho fica exposto e tem mais chances de ser contaminado devido ao alto fluxo de pessoas desses ambientes, podendo contaminar quem for utilizá-lo.

A escolha do papel higiênico pode ser pautada pela economia mensal, pela autonomia do sistema, pela qualidade, pelo design do sistema de higiene, etc.

Ambientes que desejam um maior nível de sofisticação, certamente levarão em conta máxima a qualidade do papel e o design dos suportes de papel.

Empresas que possuem um grande fluxo de usuários e pretendem reduzir ao máximo suas despesas, devem levar em conta o nível de despesas mensais proporcionadas por cada produto.

Instituições que tem como foco a saúde dos usuários, como hospitais e clinicas, devem levar em conta a proteção proporcionada pelos dispensers aos papéis bem como o nível de qualidade e o tipo de fibras que são usadas na fabricação.

Existem alguns formatos de produto mais adequados a um público requintado e outros a um público menos exigente. Na sequência do nosso artigo veremos esses aspectos em maiores detalhes.

2 – Escolha pelo formato do papel higiênico

Se você tiver que comprar para um grande consumo, os pequenos rolos de papel higiênico, geralmente de 30 metros, não são os mais recomendados, conforme pudemos observar no tópico acima.

No entanto, a indústria de papel higiênico oferece diversas opções, vejamos na sequência:

  • Papel Higiênico Rolão, Papel Higiênico Industrial, Papel Higiênico Bobina, Papel Higiênico Gigante, Papel Higiênico Jumbo ou Fardo de Papel Higiênico

Essas nomenclaturas referem-se sempre ao mesmo formato de papel. São rolos de alta metragem, como 250 metros, 300 metros, 520 metros, 600 metros e até mesmo de 800 metros. São recomendados para ambientes e empresas grandes, com grande fluxo de pessoas. A autonomia do sistema, ou seja, quantas higienizações uma carga do produto realiza, é o ponto chave para esses ambientes.

  • Papel Higiênico Interfolha ou Interfolhado

Os papeis higiênicos nesse formato, também chamados de Papel Higiênico Cai Cai ou Papel Higiênico Intercalado, são muito indicados por serem os mais higiênicos. Isso porque o usuário toca apenas na folha que irá usar.

Geralmente é utilizado um baixo volume de papel em cada operação. Além do tamanho do dispenser desse tipo de papel, que costuma ser mais compacto.

3 – Escolha pela composição do papel higiênico

Eles podem ser fabricados com papéis de diversas fontes, como reciclagem, aparas, fibras virgens entre composições desses tipos.

Esse tipo de papel é proveniente da célula virgem da celulose, sem ter sido utilizada na fabricação de qualquer outro papel.

Bastante indicado para ambientes onde a saúde está em primeiro lugar, tais como área de alimentação e da saúde.

  • Papel Higiênico Misto

Os papeis mistos são feitos de celulose virgem e papeis reciclados (que possuem vários tipos e origens) juntos ou mesmo aparas (que possuem vários tipos e origens também).

No passado tinha-se a clareza de uma qualidade inferior, porém hoje em dia existem grandes empresas com alto perfil de qualidade que garantem a qualidade mesmo em composições, como por exemplo fibras virgens + aparas de tipo 1.

  • Papel Higiênico Reciclado

Já os reciclados são feitos pela junção de vários outros tipos de papeis. Geralmente são papéis de qualidade inferior e com preços menores. Não são recomendados para utilização por apresentarem riscos à saúde, já que pode contém substâncias perigosas como por exemplo o Bisfenol.

4 – Escolha pelo suporte de papel higiênico

Esses suportes podem ter diversos nomes, tais como: dispenser de papel higiênico, porta papel higiênico industrial ou dispensador de papel higiênico.

É importante eles serem de boa qualidade e de fácil higienização. O papel higiênico por exemplo, quando não armazenado em local adequado, pode perder a qualidade inicial do produto, aumentando os gastos para a sua empresa e podendo prejudicar a saúde dos usuários.

É muito importante que o dispenser seja do mesmo fornecedor dos papeis, ou no mínimo seja verificado in loco a compatibilidade.

Por exemplo, um papel higiênico pode ser pequeno para o porta papel higiênico e, com isso, liberar muitas folhas de uma vez e aumentar suas despesas.

  • Suporte para papel interfolhado

Esse dispenser é menor e mais sofisticado. São indicados para ambientes menores e com menor fluxo de pessoas.

Usado para armazenar e ofertar o papel higiênico interfolhado ou tipo cai-cai costuma ser bonito e elegante.

Uma dica importante para esse tipo de dispenser é que não o lotemos com papéis. Pois isso dificulta o uso e aumenta o consumo, devido a eventuais rasgos proporcionados às folhas.

  • Suporte para papel higiênico em rolão

Geralmente destinado a locais com grande fluxo de pessoas, como shopping center, indústria, comércio, clubes, hotéis, etc. Ele torna-se mais econômico para esses ambientes, pois você pode comprar metragens maiores por um preço melhor.

Geralmente são suportes maiores e fabricados com metal e até mais sofisticados com plásticos de alta resistência.

A grande vantagem desse dispenser é o fato de ter uma altíssima autonomia, proporcionando um espaçamento grande entre os abastecimentos.

Hoje em dia existem até do tipo duplo, que pode, portanto, duplicar sua autonomia.

A dica aqui fica por conta da higienização do sanitário. Sempre devemos ter cuidado para proteger ou remover os papéis do dispenser para não correr o risco de umedecê-los. No caso desse dispenser o risco de perdermos material de alto custo aumenta. Portanto muito cuidado.

Para ver todas as nossas opções de dispensers, clique aqui.

5 – Escolha pelo preço do papel higiênico

Apesar de ser um aspecto importante e talvez muitas vezes pautado na hora da busca, ele não deve ser o principal fator de decisão. Isso porque na maioria das vezes o papel higiênico barato não é de boa qualidade.

Quanto menor a qualidade de absorção e gramatura do papel higiênico, maior a quantidade de papel será necessária para a higiene. Isso resulta em um gasto maior que o normal e o papel que era barato, acaba se tornando caro devido ao alto consumo.

Afirmamos que o maior problema para enganar o consumidor é de fato a metragem ou quantidade de folhas menor nas unidades vendidas.

Em pesquisa recorrente no mercado profissional o IPEM-SP encontrou irregularidades enormes, chegando a alguns casos ter 52% a menos de produtos que o mencionado nas embalagens como pode ser visto neste link aqui.

Portanto muito cuidado para escolher apenas baseado no preço! Aqui a dica seria obter os pesos de produtos antes de comprar e se o seu consumo for grande, até medi-los seria uma boa alternativa.

6 – Qualidade do papel higiênico

Dentre os itens que destacam as características do papel, cita-se:

  • Hidrossolúbilidade

Como o nome deixa claro, é quanto o papel é solúvel em água. Isso é útil, pois pode-se jogar o papel no vaso sanitário. O que evita o contato do usuário com a lixeira, sendo mais muito mais higiênico.

  • Absorção

É importante um papel com alta e boa absorção. De preferência que absorvam a água e líquidos rapidamente e se mantenham firmes mesmo após molhado.

Papeis com uma alta resistência chegam a ser meio sedosos e tiram nota baixa quando o assunto é absorção. Seu bolso vai sentir o aumento do consumo nesse caso.

  • Resistência a Umidade

Segundo pesquisas, o papel higiênico precisa ter uma resistência baixa para que não entupa os vasos sanitários e a rede de esgoto. Isso quando não são dispensados em uma lixeira.

Indicamos papéis dispensados diretamente no vaso, sempre que possível.

  • Fator gramatura

Materiais de maior gramatura não são, necessariamente, os melhores. Por exemplo, os papéis feitos com celulose pura, podem ter gramaturas baixas mesmo sendo de boa qualidade, enquanto que os reciclados podem ter uma maior gramatura e serem de baixa qualidade.

Papéis com folhas duplas, por exemplo, vão ter sim uma alta gramatura devido a terem 2 folhas.

Aqui a dica seria também ficar de olho no peso das caixas de papel.

Um fato muito comum é: papéis com mesma quantidade de folhas nas caixas, porém com pesos extremamente diferentes.

Certamente você estará pagamento menos ao optar pelos mais leves. Porém a certeza de aumento de consumo é absoluta, pois usaremos muito mais folhas para secagem e limpeza.

  • Fator brancura

Assim como a gramatura, esse não pode ser um item relevante na qualidade, pois trata-se de um mito. Os papeis mais brancos não são necessariamente os de alta qualidade, pois alguns fabricantes utilizam uma grande quantidade de produtos químicos para “maquiar” o papel, tornando-os mais brancos para chamar atenção dos desinformados neste assunto.

Em nossa cultura, no entanto, os papéis mais brancos são mais aceitos pelos usuários de um modo geral e causam uma melhor impressão.

  • Folha dupla ou Folha Simples

Esse aspecto costuma ser bastante importante, uma vez que papéis folha dupla costumam ser mais macios e ter um consumo de metragem menor, já que ele tem 2 folhas por toda sua extensão, uma sobre a outra.

Já os papéis de folha simples, os mais usuais no mercado empresarial, geralmente tem consumo um pouco maior que o de folha dupla, desde que sejam de gramatura semelhante.

Temos ainda papéis com folhas triplas ou quadruplas, certamente de maior qualidade. São menos usuais no mercado empresarial, destinado para empresas que pretendem causar um alto impacto aos clientes e funcionários.

7 – Escolha pela marca do papel higiênico

Também pode ser uma forma de comprar o melhor papel. Marcas mais famosas, normalmente tem um bom reconhecimento dos clientes e não é à toa.

Uma dica é conhecer mais sobre as marcas e saber qual oferece maior variedade e qualidade de produto. Procure por uma marca que mantenha o alto padrão que a sua empresa deseja. Se possível tendo inclusive certificações de qualidade tipo ISO.

A nossa indicação é o papel higiênico Elite Profissional, fabricado pela líder de mercado: Melhoramentos Papéis (atualmente conhecida como Softy’s). Possuímos diversos certificados de qualidade que garantem o alto padrão na produção e uma variedade de produtos para se encaixar em qualquer estabelecimento e público atendido.

Logo Elite Professional Melhoramentos

Para saber mais sobre os Papeis Higiênicos Melhoramentos, clique aqui.

Fonte