Papel higiênico dentro do vaso sanitário é errado?

De acordo com a educação recebida pela maioria dos brasileiros, sim. Desde cedo, aprendemos que devemos jogar o papel higiênico no lixo, que sempre fica ao lado da privada.

Por outro lado, em países considerados desenvolvidos, o hábito é exatamente o contrário: o papel higiênico é descartado diretamente no vaso sanitário após o uso.

Mas, qual ação é a mais correta para a saúde e o meio ambiente? Fique conosco para entender!

Papel higiênico no vaso sanitário

De um modo geral, todos os papéis higiênicos do mercado são biodegradáveis. Ou seja, são compostos por matérias orgânicas, neste caso a celulose retirada das árvores, que se decompõem facilmente no meio ambiente e contribuem assim com a redução de lixo e poluição do meio ambiente.

Desta forma, o papel higiênico usado, quando jogado no vaso sanitário, se dissolve quase por completo ao longo do trajeto da rede de esgoto. Principalmente aqueles de melhor qualidade, levando consigo os riscos de contaminação por contato com as os resíduos corporais, como por exemplo fezes e sangue. Só por esse motivo, já deveríamos reconsiderar nosso hábito.

Veja aqui o nosso papel higiênico com uma tecnologia exclusiva que desentope e elimina mal odor. 

Entretanto, esse comportamento também beneficia o meio ambiente, uma vez que a sacolinha que as vezes utilizamos para descartar o papel higiênico polui mais que ele próprio.

Afinal, leva muito mais tempo para a sacola se decompor na natureza, prejudicando a sustentabilidade. Enquanto o papel higiênico demora cerca de 4 meses para sua decomposição, as sacolinhas plásticas demoram cerca de 40 anos.

Papel higiênico no lixo

Apesar dos benefícios e vantagens destacados acima, nós somos ensinados a jogar o papel higiênico na lixeira. O motivo é que, diferente dos países desenvolvidos que possuem o hábito de descartar o papel no vaso e o saneamento básico é garantido para 100% da população, no Brasil a realidade é bastante diferente.

Segundo dados do IBGE, 2018, há uma grande diferença em relação à coleta de esgoto entre as regiões do país. De acordo com o estudo realizado para analisar os domicílios com coleta de esgoto pela rede geral em 2018 (%), constatou-se que a região que mais trata o material que coleta (93,7%) é o Sul, seguida por Centro-Oeste (92,6%), nordeste (8008%) e Sudeste (67,3%).

Além disso, de acordo com o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (Snis), em 2017, constatou-se que de toda a rede de esgoto coletada, somente 73,7% é tratado. Contudo, se for considerar todo o esgoto gerado no país (incluindo os não coletados), apenas 46% recebem tal tratamento.

Desta forma, a razão pela qual somos ensinados a não jogar o papel higiênico no vaso sanitário é o risco de entupimento da rede de esgoto. Ou até mesmo a inexistência da rede em alguns lugares do Brasil.

Ou seja, o problema não está no papel higiênico, e sim na falta de boa infraestrutura em nossas cidades. Afinal: encanamentos de boa qualidade e 100% de saneamento básico são considerados luxo por aqui.

Considerações da Sabesp

De forma geral, de acordo com a Sabesp, os problemas relacionados a entupimentos ocorrem em redes domiciliares antigas e com canos muito curvos.

Além disso, geralmente em prédios, devido à maior pressão da água e os desníveis elevados, não sofrem com obstruções por tais resíduos.

Eles ainda afirmam que não há registro nos coletores públicos de entupimentos em canos ocorridos por descarte de papel higiênico. Mas que tais obstruções estão associadas a outros tipos de materiais jogados no vaso sanitário e que deveriam ser descartados no lixo.

Por exemplo: cabelo, tubetes de pasta de dente, bitucas de cigarro, algodão, brinquedos, “cotonetes”, absorventes, preservativos, etc.

 Conclusão

Fica evidente que o mais correto seria fazer o descarte do papel higiênico diretamente no vaso sanitário. A fim de eliminar o contato com fezes e demais contaminantes,  diminuindo contaminações. Além de reduzir o lixo e o impacto causado no meio ambiente.

Entretanto, não são todos os locais que estão preparados para essa mudança de hábito. E por isso, é de suma importância verificar a disponibilidade do tratamento de esgoto no local da sua empresa e/ou residência.

Além disso, é necessário também a conscientização para que apenas o papel HIGIÊNICO seja descartado no vaso. Enquanto que os outros resíduos devem ser descartados nas lixeiras.

Nossa empresa apoia o descarte do papel higiênico no vaso sanitário. Até por que nosso papel é hidrossolúvel e facilmente se desmancha na rede de esgoto, desde que seja adequada.

Esse hábito elimina o risco de contaminação pela manipulação das fezes, acaba com o cheiro desagradável dos cestos dos banheiros e, ainda, contribui para o meio ambiente.

Para saber mais sobre nossos produtos, clique aqui. 

Fontes: