Máscara descartável, o que é?

De início, trata-se de um equipamento de segurança, indicado para ser usado como barreira física na propagação de microrganismos. A máscara descartável protege nariz e boca e impede que bactérias e vírus cheguem até essas partes do corpo. O item tem a função de reduzir, no ambiente, a contaminação por meio desses agentes.

Feitas em Tecido Não Tecido (TNT), com no mínimo duas camadas e um filtro, as máscaras descartáveis são indicadas para uso em diferentes espaços, como nas áreas de gastronomia, estética, saúde e industrial. Ao serem produzidas nessa configuração, elas devem possuir Eficiência de Filtragem de Partículas (EFP) maior ou igual a 98% e Eficiência de Filtragem Bacteriana (BFE) maior ou igual a 95%.

Máscara descartável aliada na pandemia.

Ao enfrentar uma pandemia mundial, costumes e formas de viver se transformam. Ao sair de casa, é possível ver as máscaras em quase todos os rostos. O item é um dos principais aliados no enfrentamento ao Coronavírus. Mas para que as máscaras possam de fato, garantir, uma proteção eficaz, é preciso escolher e fazer uso corretamente.

Primeiro, é preciso saber que há tipos diferentes de máscaras. Entre as opções, temos a máscara descartável tripla, máscara cirúrgica e máscara PFF2 (conhecida como respirador N95). Para que possam ser fabricadas, as máscaras descartáveis de uso profissional devem seguir às normas da Anvisa, Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Depois, é preciso saber que, ao fazer uso da máscara descartável, é fundamental checar se ela atende às recomendações exigidas pela lei, seguir os procedimentos de higienização das mãos antes e depois de manuseá-la e realizar o descarte correto.

Dessa forma, com o objetivo de orientar indústrias, hospitais e serviços de saúde e alimentação, na escolha e utilização das máscaras descartáveis, preparamos este artigo.

Acompanhe a leitura e veja cinco dicas importantes para oferecer mais saúde e segurança a todos!

Máscaras Descartáveis

A máscara ajuda na redução da propagação do vírus

Quais as diferenças entre as máscaras na forma de proteção?

Elas parecem iguais, mas não são. De acordo com a Anvisa, há diversas espécies de máscaras em uso. Entre os tipos mais comuns estão: máscaras de proteção de uso não profissional, máscaras cirúrgicas e equipamentos de proteção respiratória (também chamados de respiradores).

Para esclarecer, as máscaras de uso não profissional, confeccionadas artesanalmente com tecidos como algodão, tricoline, entre outros, atuam, somente, como barreiras físicas, e reduzem a propagação do vírus e, consequentemente, a exposição ao risco de infecções.

Já as máscaras de uso profissional – cirúrgicas, descartáveis e os respiradores -, confeccionadas em não tecido, de uso médico-hospitalar, têm uma manta filtrante capaz de filtrar microrganismos e reter gotículas.

Banner artigo mobile - Solicite seu orçamento Hygibras

Banner artigo desktop - Solicite seu orçamento Hygibras

Máscaras artesanais, de pano, podem ser usadas em hospitais?

A Sociedade Brasileira de Infectologia esclarece que as máscaras de pano não devem ser usadas sob qualquer circunstância nos serviços de saúde.

Confira nesse vídeo os diferentes tipos de proteção por diferentes máscaras faciais em um teste realizado em um estúdio:

Máscara descartável: qual importância no combate ao Coronavírus?

É sabido que uma das formas de transmissão do vírus causador da Covid-19 é por meio do contato com gotículas de saliva, espirro e tosse contaminadas. Portanto, as máscaras descartáveis são importantes, pois protegem as vias respiratórias contra inalação de gotículas projetadas a curta distância.

Assim, o uso da máscara evita a projeção para o ambiente de gotículas eliminadas por uma pessoa contaminada. 

Ouça esse conteúdo também em formato de podcast.

Como escolher a máscara descartável para sua empresa, indústria e colaboradores?

 1. Saiba qual o material de fabricação das máscaras

As máscaras descartáveis devem ser feitas de Tecido Não Tecido (TNT) e este deve ter a determinação da Eficiência da Filtração Bacteriológica garantida pelo fornecedor do material.

Assim, é proibida a confecção de máscaras cirúrgicas com tecido de algodão, tricoline ou outros têxteis que não sejam do tipo Tecido Não Tecido, para uso odonto-médico-hospitalar.

As máscaras devem ter um elemento filtrante de boa qualidade que tem como objetivo garantir a proteção bacteriana e evitar o contato com os líquidos corporais de outras pessoas.

2. Confira a forma de fabricação das máscaras

Certamente, para fazer uma boa escolha é preciso conhecer a procedência das máscaras cirúrgicas e descartáveis. Pela Anvisa, os itens devem ser confeccionados em material sintético Tecido Não Tecido (TNT), de composição 100% polipropileno, atóxico, com elásticos nas laterais e clipe nasal na parte superior.

As máscaras devem possuir, no mínimo, uma camada interna e uma camada externa e, obrigatoriamente, um elemento filtrante.

Portanto, a camada externa e o elemento filtrante devem ser resistentes à penetração de fluidos transportados pelo ar.

3. Procure orientação para uso das máscaras descartáveis

Antes de investir na compra de máscaras, procure entender qual a demanda do seu negócio e conheça as indicações específicas de cada modelo, tipo, material, etc. A princípio, as máscaras podem parecer todas iguais e com a mesma finalidade, mas já vimos que isso não se confirma.

características que diferenciam os modelos descartáveis, cirúrgicos, respirador N95, Pff2 e os artesanais e caseiros.

As máscaras n95 possuem um filtro para as partículas que atende ao padrão N95 de classificação da filtragem de ar.

A máscara Pff2 garante um ótimo nível de proteção, custo baixo para a compra e ainda é possível fazer o seu reuso, alguns especialistas americanos estão sugerindo a combinação de uma máscara cirúrgica com máscara de pano, segundo eles esta combinação pode garantir um bloqueio ainda maior que o atual, chegando próximo de 90% das partículas do ar

Para aqueles que preferem fazer uso de máscaras caseiras como as de tecido, relatamos aqui a dica dos especialistas, coloque a máscara contra a luz e tente enxergar através dela, caso isso ocorra de forma muito fácil é recomendado que utilize um tecido mais grosso, outro teste eficiente é tentar apagar uma vela através da máscara. Se conseguir apagar facilmente, considere a possibilidade de mudar para um tecido mais fechado.

Além disso, as organizações devem manter um alto nível dos procedimentos de limpeza e higienização no controle e combate a doenças de todos os tipos.

4. Veja o número de camadas e toxicidade

Em suma, as máscaras descartáveis devem ter, no mínimo, duas camadas de tecido e um filtro. No entanto, há opções no mercado com camadas triplas, que garantem uma dose extra de proteção.

Em ambientes industriais, corporativos e de serviços de saúde, a camada tripla pode ser a opção mais indicada.

Lembre-se de observar se as máscaras possuem Eficiência de Filtragem Bacteriana superior a 96%, se são antialérgicas, não inflamáveis e totalmente atóxicas.

banner C1 - reducao de despesas Hygibras

5. Confira as dimensões da máscara descartável e seu ajuste no rosto

É importante que as máscaras descartáveis e cirúrgicas estejam bem ajustadas ao rosto. Em suma, não devem ficar com as laterais abertas. Confira se o elástico não fica frouxo. Elas devem cobrir nariz e boca por completo e descer até abaixo do queixo.

Portanto, veja se não há fibras ou camadas soltas e se o toque é confortável no rosto.

Manuseio e uso correto das máscaras de proteção:

  • lave bem as mãos com água e sabonetes ou álcool gel, antes e depois de colocar e de tirar a máscara.
  • ao colocar, segure a máscara pelos elásticos e faça o encaixe atrás das orelhas.
  • nunca abaixe a máscara e a deixe no queixo.
  • troque a máscara a cada duas horas ou sempre que ficarem úmidas.
  • retire a máscara pelos elásticos e descarte.
  • o descarte correto das máscaras de pessoas infectadas pelo vírus inclui o uso de dois saquinhos plásticos – um dentro do outro. Portanto, é preciso amarrar bem e jogar no lixo.
  • não toque na parte da frente da máscara.
Máscaras Descartáveis

Máscaras descartáveis protegem as vias respiratórias contra inalação de gotículas projetadas.

Máscaras descartáveis triplas no combate ao Coronavírus

A Hygibras possui, em sua gama de produtos e acessórios para limpeza e higienização profissional, máscaras descartáveis com tripla camada de proteção. Trata-se, portanto, de um modelo que atende às normas e regulamentações da Anvisa e da ABNT e oferece conforto e segurança aos profissionais da indústria, dos serviços de saúde, empresas e outros ambientes que exigem alto nível de controle sanitário.

Nós da Hygibras atuamos na área de higiene e limpeza há mais de 25 anos e nos sentimos na responsabilidade de alertar e conscientizar nossos clientes no tocante as necessidades do atual momento.

Queda da obrigatoriedade das máscaras

Após quase 2 anos de uso obrigatório, no mês de março de 2022, o estado de São Paulo, desobrigou o uso na maior parte dos ambientes internos e totalmente liberada nos ambientes externos. Torcemos pelo sucesso e assertividade da medida. Imaginamos que a nossa população, ainda um pouco amedrontada pelo longo período da obrigatoriedade, ainda demore um tempo para aderir 100% a medida.

Pelo bem de todos, o ideal é que a máscara ainda faça parte do nosso dia a dia, no sentido de proteger as pessoas de nosso convívio, quando da suspeita de alguma doença contagiosa!

Referências:

Ministério da Saúde

Anvisa

Sociedade Brasileira de Infectologia

Associação Brasileira de Higienistas Profissionais